21/08/2015 às 09h08min - Atualizada em 21/08/2015 às 09h08min

Empresa demite trabalhadores de obra de duplicação da BR-280, em SC

G1

A duplicação da BR-280, entre Jaraguá do Sul e São Francisco do Sul, no Norte catarinense, prevista para ser concluída no ano que vem, enfrenta um entrave. Pelo menos 24 funcionários que trabalhavam em um novo contorno foram demitidos na semana passada, como mostrou reportagem exibida pelo Jornal do Almoço .

A empreiteira responsável disse que as demissões aconteceram porque o governo federal não repassou recursos suficientes para a execução do projeto. Os funcionários trabalhavam na construção de uma galeria no trecho entre o trevo que dá acesso à Rodovia do Arroz e o município de Jaraguá do Sul.

“Eles estavam com salários de junho e maio atrasados. Assinaram e trabalharam o aviso prévio, mas não receberam as verbas rescisórias”, diz Maycon Prorrua, advogado do Sintraprev, sindicato que representa a categoria.

Nessa semana, os salários foram pagos, mas o período do aviso prévio e os outros direitos ainda não foram quitados. A empresa é a BDR, de Palhoça, subcontratada pela Cetenco, de São Paulo, para fazer as galerias.

A BDR alega que está com pagamentos que recebe da Cetenco atrasados. Segundo a contabilidade da BDR informou à reportagem da RBS TV, 90% dos funcionários foram demitidos e, sem o repasse, não será possível pagar o que falta, nem continuar as obras.

Vizinho na obra, o agricultor Nelson Wackerhage diz que há quase dois meses nada é feito. “Deixaram uma máquina e o resto recolheram. Ontem mesmo recolheram cones na beira da estrada, caminhão, e o resto está aí, largado”, afirma o agricultor.

Já a outra parte da duplicação - do trecho do trevo da BR-101 até São Francisco do Sul - nem começou. O impasse são as desapropriações de mais de 500 imóveis. Sem isso, não é possível assinar a ordem de serviço.

Atraso nos repasses
A reportagem da RBS TV procurou a empreiteira Cetenco, que informou que a questão deveria ser tratada com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). O órgão, por sua vez, confirmou que há três meses não faz os pagamentos por causa do atraso no repasse do governo federal, segundo a reportagem. O órgão não soube informar se as obras vão atrasar.

A duplicação da BR-280 é cobrada há mais de 20 anos pelos motoristas que trafegam pela rodovia. “De manhã cedo e de tarde a fila fica mais de uma hora parada”, diz o caminhoneiro Luiz de Oliveira. “Dá muito acidente, e todo mundo atrasa seu horário”, completa.

No final de 2013, o governo federal anunciou o início das obras de duplicação de 74 quilômetros, divididos em três lotes. Seis meses depois, os trabalhos começaram em um trecho de 38 quilômetros que vai do trevo da BR-101 com a BR-280 até Jaraguá do Sul. O prazo anunciado para a conclusão da duplicação, na época, era de três anos.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »