15/04/2021 às 13h46min - Atualizada em 15/04/2021 às 13h46min

Morre a escritora e professora Sinira Damaso Ribas

A professora, escritora e membro da Academia Brasil/Canoinhas de Letras, e mãe do ex-prefeito Humberto Ribas e esposa do ex-prefeito Nataniel Rezende Ribas, morreu nesta quinta-feira, aos 77 anos.

Ela estava internada com COVID em Porto União SC. Havia apresentado melhora, sendo inclusive entubada e transferida para o quarto, quando sofreu na terça –feira dois AVC’s severos. Na tarde de ontem (14), Sinira teve morte cerebral, vindo a óbito oficialmente nesta manhã. Sinira foi uma das mulheres que fizeram a história de Papanduva. 

Sinira nasceu em Papanduva em dezembro de 1944, filha de Jahir Damaso da Silveira e Alice Furtado da Silveira. Iniciou os estudos em Papanduva e os concluiu em Rio Negro-PR em 1961. Cursou Pedagogia e especialização em Administração Escolar. Em 1976 concluiu as faculdades de Filosofia, Ciências e Letras em Palmas-PR. Fez pós-graduação em Interdisciplinaridade e parapsicologia social. Em 1962, ingressou no magistério no Grupo Escolar Alinor Viera Côrte.

Em 1963 Sinira casou-se sem Nataniel Resende Ribas, com quem teve três filhos. Sinira sempre atuante como: Administradora Escolar, professora, auxiliar de direção, diretora de escola, supervisora escolar, tutora de cursos de pedagogia, escritora de muitas obras didáticas e paradidáticas. Sinira conta que teve uma infância pacata e feliz, num lar equilibrado, com mais 5 irmãs e pais amorosos. 
Quando criança brincava de "roda", "casinha" e "boneca de panos", foi grande a emoção quando ganhou a primeira boneca de louça. Considera que hoje em dia, as crianças continuam brincando, mas sem liberdade para sair às ruas. Crianças mais abatidas estão se tornando cada vez mais consumistas. Sinira nos diz que "A mulher papanduvense pela sua genética é por si só, uma guerreira e ser professora nos tempos mais antigos não era fácil, pela falta de material didático e dificuldade de comunicação. Mas a dedicação e o empenho supriam tudo. Hoje as dificuldades são outras, as crianças não são as mesmas, a sua dedicação não é a mesma. A atenção dentro da escola não é a mesma".

Sinira contribuiu para o progresso de Papanduva como cidadã, professora e esposa de prefeito por dois mandatos. Deixou um estímulo aos professores, que continuem sua tarefa de professor, como profissionais competentes, de acordo com o que a sociedade espera da escola. Aos alunos, Sinira sempre desejou que "saibam aproveitar tudo de com que a escola oferece". 

Como escritora escreveu, entre outros livros:  Amor do Tropeiro – Nos caminhos do Sul e Resgate de Memórias – Papanduva em Histórias – Famílias. Mas sempre estava estudando e escrevendo. Também lutou com afinco e empenho contra a exploração do xisto no município. 
Um pouco mais sobre Sinira

Além de pedagoga com formação em Administração Escolar, pós graduada em Interdisciplinaridade e em Parapsicologia Sistêmica. Era Terapeuta Ortomolecular, bem como Terapeuta de Florais Quânticos. Tinha curso de Terapias Holísticas, Terapia com Comandos Quânticos, Alquimia das Ervas e Fitoenergética. E trabalhava com Constelação Familiar Sistêmica & Xamânica. E claro, escrevia sobre diversos temas, conforme inspiração do momento. No teclado se intitulava “livre e solta”. 

Luto oficial
O prefeito Luiz Henrique Saliba, Decretou Luto Oficial por três dias no município. A Bandeira do município de Papanduva deve ficar a meia varga durante a vigência do Decreto.

Fonte: Textos de arquivos e deste jornalista - Vilmar Bueno Lima - Espeto
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »