07/01/2016 às 08h29min - Atualizada em 07/01/2016 às 08h29min

Santa Catarina registrou 3.605 casos de dengue, 8 de zika vírus e 3 de febre chikungunya em 2015

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina divulgou nesta quarta-feira um relatório consolidado com os números relativos aos casos dedengue, zika vírus e febre chikungunya no Estado em 2015. Entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano passado, foram confirmados 3.605 casos de dengue, 8 de zika vírus e 3 de febre chikungunya.

 

Entre as três doenças, a dengue foi a que mais teve casos em 2015, com 11.263 notificações. Desse total, 3.605 casos (32%) foram confirmados — 2.370 por critério laboratorial e 1.235 por clínico-epidemiológico. Outros 6.572 (58%) foram descartados e 1.086 (10%) casos suspeitos ainda estão em investigação.

Dos casos confirmados, 3.276 (91%) são autóctones, com transmissão dentro do Estado, 268 (7%) são importados e 61 (2%) estão em investigação para definição do local provável de transmissão. O acompanhamento dos casos mostra que entre os dias 15 e 21 de março registrou-se o maior número de casos autóctones confirmados: 309.

Foram identificados 7.244 focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, em 117 municípios. Existem 28 municípios considerados infestados pelo mosquito: Anchieta, Balneário Camboriú, Chapecó, Cordilheira Alta, Coronel Freitas, Coronel Martins, Cunha Porã, Florianópolis, Guaraciaba, Guarujá do Sul, Itajaí, Itapema, Joinville, Maravilha, Nova Itaberaba, Novo Horizonte, Palmitos, Passo de Torres, Pinhalzinho, Planalto Alegre, Princesa, São Bernardino, São Lourenço do Oeste, São Miguel do Oeste, Serra Alta, União do Oeste, Xanxerê e Xaxim. A definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos.

Chikungunya e zika vírus

Foram notificados 91 casos de febre do chikungunya no ano passado em SC, dos quais três foram confirmados (dois importados da Bahia e um caso autóctone de Itajaí). Já de zika vírus, foram notificados 68 casos suspeitos, sendo oito confirmados, 33 descartados e 27 que permanecem em investigação.

Todos os casos confirmados são importados e tiveram essa confirmação pelo critério clínico-epidemiológico (após diagnóstico diferencial negativo para dengue, sarampo, rubéola e parvovírus). Estes casos foram identificados em Laguna, Florianópolis, Bombinhas, Gaspar e Pomerode, e o provável local de infecção foram os estados do Maranhão, Bahia, Pará, Paraíba e Sergipe.

Fonte: A Notícia


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »