30/12/2015 às 08h23min - Atualizada em 30/12/2015 às 08h23min

De tornado a pior acidente do estado, veja fatos que marcaram SC em 2015

O ano de 2015 em Santa Catarina foi marcado por tornados, muita chuva, acidentes violentos nas rodovias e casos curiosos. O G1 preparou um resumo dos assuntos que mais impactaram o cotidiano dos catarinenses. Confira abaixo os casos, separados por mês.

Janeiro
Já no 11º dia deste ano houve um violento acidente de trânsito com um ônibus de turismo, que deixou nove pessoas mortas. Foi na BR-282 em Alfredo Wagner, na Grande Florianópolis.

O ônibus saiu de Posadas, na Argentina, com destino a Florianópolis. O motorista não conseguiu fazer uma curva e caiu em uma ribanceira. Dos 40 ocupantes do ônibus, nove morreram, incluindo o motorista.

No mesmo mês, a morte do surfista Ricardo dos Santos, conhecido como Ricardinho, comoveu os catarinenses. O atleta, de 24 anos, e um policial militar de 25 teriam se desentendido em frente à casa do atleta, na Guarda do Embaú, em Palhoça, Grande Florianópolis, em 19 de janeiro.

O policial, que estava de folga, confessou ter dado dois tiros na vítima, mas alegou legítima defesa.As balas perfuraram vários órgãos internos. Uma acertou Ricardinho pelas costas e a outra o atravessou pela lateral do corpo.

O surfista morreu em 20 de janeiro, no Hospital Regional de São José. Ele foi enterrado no dia seguinte, no cemitério de Paulo Lopes, cidade vizinha do município onde ele morava.

Atualmente, Luís Paulo Mota Brentano, o policial acusado de ter atirado contra Ricardinho, aguarda júri popular. Em setembro, a Polícia Militar anunciou que ele foi oficialmente expulso da corporação.

Um dos assuntos mais falados do mês também foi a morte de um catarinense no México.

Dealberto Jorge Silva, de 35 anos, foi encontrado morto em 10 de janeiro no balneário de Playa del Carmen, a 70 km ao Sul de Cancún, após cair de uma altura de cerca de 10 metros em um hotel da cidade. Segundo a Procuradoria-Geral do Estado de Quintana, o acidente foi resultado de paranoia provocada pelo consumo excessivo de drogas e de álcool.

Ele foi cremado em Miami e a família se despediu dele em um velório no final de janeiro.

Fevereiro
Os bloqueios feitos por caminhoneiros em rodovias de todo o Brasil também ocorreram em Santa Catarina. A agroindústria do estado foi afetada.

Os caminhoneiros começaram os bloqueios no dia 18 de fevereiro. Eles reivindicavam melhores condições nas rodovias da região e protestavam contra o aumento no valor de combustíveis.

Mais de 30 trechos de rodovias federais e estaduais tiveram bloqueios para caminhões. Empresas de agroindústria chegaram a parar as atividades porque não conseguiam escoar os alimentos. O protesto durou duas semanas e todos os trechos foram liberados em 3 de março.

Março
Esse foi o mês em que aconteceu a maior tragédia de trânsito da história de Santa Catarina. Na tarde do dia 14, um ônibus caiu em uma ribanceira após uma curva da SC-418 em Joinville, Norte do estado. Estavam a bordo 59 pessoas e 51 morreram.

O inquérito policial sobre o caso foi concluído em maio e o motorista foi responsabilizado pelo acidente. A Polícia Civil revelou que o homem ingeriu bebida alcoólica e que não teria utilizado o freio a motor e marcha engrenada para impedir que o veículo perdesse o controle. Como o motorista morreu no acidente, em junho a Justiça decidiu arquivar o processo sobre o caso.

No final do mês, o universitário Diogo Cuiabano de Medeiros, de 26 anos, foi morto dentro da casa noturna sertaneja Fields na madrugada do dia 28 em Florianópolis.

O estudante foi atingido no pescoço por um copo de vidro quebrado. O acusado é Leonardo dos Passos Pereira, 21 anos.

Em outubro, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina confirmou que ele irá a júri popular.

O mês de março também marcou o início da greve dos professores do estado, que durou até 3 de junho, quando decidiram retomar os trabalhos por 60 dias. De acordo com a Secretaria de Estado da Educação, cerca de 5%, aproximadamente 2 mil professores, estavam sem dar aulas. O sindicato da categoria informou que 20% dos professores do estado pararam.

Professores do estado fizeram greve de 24 de março a 3 de junho (Foto: Anderson Pinheiro/Agência O Dia/Estadão Conteúdo)

Em assembleia no início de agosto, os professores decidiram suspender a greve da categoria novamente. Enquanto isso, o sindicato seguiu negociando com o governo do estado.

Abril
O mês foi marcado pelo tornado que devastou Xanxerê, no Oeste catarinense. O município decretou estado de calamidade pública depois que o fenômeno atingiu a cidade, em 20 de abril. O vídeo abaixo, feito por câmeras de segurança, mostra imagens de dentro do tornado.

Quatro pessoas morreram - o funcionário de uma obra, um motorista e o filho dele, de 8 anos, e uma dona de casa de 63 anos. Mais de 90 ficaram feridas e mais de 2 mil casas foram danificadas pelos fortes ventos.

Segundo dados da Defesa Civil, 4.275 pessoas foram desalojadas e 539 ficaram desabrigadas.

Em outubro, foi apresentado o projeto para o novo ginásio da cidade, já que o antigo foi destruído. Em novembro, sete meses depois do tornado, ainda havia regiões da cidade sem luz.

Ponte Serrada, município do Oeste catarinense, também registrou a passagem de um tornado. Não foram registradas mortes, porém 27 pessoas ficaram feridas, 1.050 foram desalojadas e 77 ficaram desabrigadas. A cidade teve reconhecida a situação de emergência pelo governo federal.

 

Maio
Neste mês, imigrantes haitianos e senegaleses chegaram a Santa Catarina vindos do Acre. Os primeiros 43 chegaram à capital no dia 25. De Florianópolis, a maioria seguiu também para outras cidades do estado.

No total, foram recepcionadas no ginásio Saul Oliveira, na região continental da capital, 177 pessoas do Haiti, do Senegal e da República Dominicana. A maioria foi para outras cidades de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

Também neste mês ocorreu a morte do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), que foi governador do estado por dois mandatos, entre 2003 e 2011. Ele morreu aos 75 anos em Joinville, município do qual foi prefeito por três vezes.

O velório e o enterro foram acompanhado por vários políticos de Santa Catarina e do Brasil, como a presidente, Dilma Rousseff, e o governador Raimundo Colombo.

Junho
Criciúma chamou novamente a atenção. Isso porque a sede da prefeitura foi atingida por dois incêndios em duas semanas, o segundo deles no dia 7 de junho e o primeiro, em 27 de maio.

Ambos não tiveram culpados, segundo a Polícia Civil. Atualmente, a prefeitura atende em uma nova sede e em três outros locais. Conforme a Secretaria de Comunicação, a própria prefeitura estabeleceu o prazo de julho de 2016 para voltar a atender na sede que sofreu os dois incêndios, seja em uma edificação reformada ou nova.

Também no Sul do estado, em Tubarão, houve um fato curioso: um paciente que cantou e tocou violão durante uma cirurgia no cérebro (veja o vídeo acima). O objetivo era avaliar se o órgão não seria afetado durante o procedimento.

Depois de 20 dias seguidos da cirurgia, Anthony Kulkamp Dias, de 33 anos, recebeu alta. “Toquei a música que fiz para o meu filho, uma dos Beatles, outra em alemão – já que o doutor Michel fala alemão. E uma sertaneja, atendendo a pedidos”, disse ele sobre a cirurgia.

Julho
Neste mês, houve a inauguração de uma obra há anos esperada pelos moradores de Laguna, no Sul do estado. A abertura para o tráfego da Ponte Anita Garibaldi foi no dia 16 às 17h07. A obra custou R$ 774.369.322,71 e a construção foi feita durante três anos.

No dia seguinte, em Tubarão, uma das pistas do sentido Sul foi liberada no Túnel do Formigão. As obras, porém, ainda não estão prontas e a região apresenta congestionamentosem dias de muito movimento.

Agosto
O acidente no Canadá com a bailarina formada pelo Bolshoi do Brasil Lucila Munaretto comoveu os catarinenses. A família da jovem de 20 anos mora em Joinville. A bailarina foi atropelada em Vancouver no dia 13 e ficou em coma induzido, do qual acordou no dia 26 do mesmo mês.

Ela recebeu alta em 29 de setembro e se recupera em casa no Canadá. Em 19 de novembro, o balé Bolshoi fez uma apresentação em Joinville para arrecadar recursos para ajudar Lucila.

Também em agosto, um caso de maus-tratos que terminou em morte em Palhoça, na Grande Florianópolis, chocou os internautas. Uma bebê de três meses morreu por desnutrição após os pais alimentarem a criança apenas de uma mistura de óleos vegetais e castanha triturada.

A mãe e o pai da menina foram presos em 3 de agosto, um dia depois da morte da bebê, eliberados pouco depois de um mês por uma decisão liminar ddo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Setembro
Nesse mês foi encontrado o menino de 8 anos que estava desaparecido desde 14 de agostoem Balneário Piçarras, no Litoral Norte. Ele ficou desaparecido durante 32 dias.

Conforme o delegado Wilson Masson, o garoto teria ficado nesse período em poder de duas mulheres que seriam sobrinhas da tia-avó do garoto, que tinha a guarda dele.

"As duas irmãs mantiveram o garoto em cárcere privado. Uma delas tem dois filhos maiores de idade, que sabiam que o menino estava ali, por isso também serão indiciados".

De acordo com o delegado, uma das mulheres que ficou com a criança teria problemas pessoais com a tia. Segundo ele, a tutora teria testemunhado contra a sobrinha para que ela perdesse a guarda de dois filhos. O sequestro do menino de 8 anos seria uma vingança.

Outubro
Fortes chuvas e vendavais causaram prejuízos a 111 municípios catarinenses entre 8 e 31 de outubro apontou a Defesa Civil. Desse total, 42 decretaram situação de emergência.

Em todo o estado, 157.500 pessoas foram afetadas de alguma forma. Quatro pessoas morrerame 42 ficaram feridas. Outras 68 ficaram doentes. Foram atingidas 13 mil residências.

Foram contabilizadas 28.660 pessoas desalojadas (em casa de amigos ou parentes) e 2.811 foram para abrigos.

As chuvas de outubro causaram prejuízos de R$ 506 milhões. Desses, R$ 426 milhões são relativos a danos privados e R$ 80 milhões, a bens públicos. Foram danificadas 13 mil casas, 151 instalações públicas, incluindo escolas, e 1.377 estruturas, como pontes e estradas.

Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) chegou a ser adiado em Taió e Rio do Sul, no Vale do Itajaí, por causa das chuvas que causaram alagamentos. Os 4,5 mil estudantes afetadosfizeram provas diferentes do restante do Brasil em 1º e 2 de dezembro.

Novembro
Novos tornados atingiram o estado neste mês. No dia 19, Chapecó e Treze Tílias, ambos municípios do Oeste catarinense, registraram o fenômeno, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Os tornados derrubaram e destelharam casas. Quatro pessoas ficaram feridas em Chapecó. No total, 17 cidades registraram ventos fortes e prejuízos.

Neste mês, também foi aprovado um dos projetos polêmicos na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), a medida provisória (MP) 202, que propõe a possibilidade de adoção da escala 24 horas de serviço por 48 horas de descanso para a Polícia Militar.

Dezembro
O mês foi de votações em plenário de projetos polêmicos na Alesc. No dia 2, foi aprovada a previdência complementar, a SC Prev.

Seis dias depois houve o primeiro confronto no mês entre servidores estaduais e professores com policiais militares na Alesc. Os militares usaram spray de pimenta para conter os trabalhadores que, com gritos de ordem e apitos, se manifestavam contra alterações na carreira do serviço público estadual.

mudança na alíquota previdenciária foi aprovada dois dias depois. A votação ocorreu ao som de vaias de manifestantes. Houve tumulto quando o projeto foi aprovado. Funcionários públicos tentaram ultrapassar o cordão de isolamento (veja vídeo ao lado).

Antes do recesso na assembleia, foi aprovado por 26 votos contra 12 o projeto de lei complementar 50/2015, que trata do novo plano de carreira dos professores do estado. A votação ocorreu em meio a tumultos.

Fonte: G1


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »