04/12/2015 às 08h48min - Atualizada em 04/12/2015 às 08h48min

Canoinhas e Major Vieira assinam contratos para pavimentação de ruas

O governador Raimundo Colombo, o vice-governador Eduardo Pinho Moreira e o presidente da Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc), Olívio Rocha, assinaram nesta quarta-feira, 2, contratos do Badesc Cidades com 26 municípios catarinenses. Os recursos de R$ 48,5 milhões serão aplicados na realização de obras e na aquisição de equipamentos, com o objetivo de promover o desenvolvimento econômico de todas as regiões do Estado.

Colombo destacou que o Badesc Cidades foi se aperfeiçoando ao longo dos anos e é um ponto importante e fundamental no desenvolvimento das ações de cada um dos 295 municípios. “Damos a condição para as prefeituras fazerem obras de maior complexidade, já que com a receita mensal os prefeitos não conseguem. Esse dinheiro faz parte de um fundo que não volta para o governo e que permite a realização de obras que vão melhorar muito a infraestrutura das cidades, gerando um resultado imediato”, disse.

O governador informou ainda que um novo programa vai complementar as ações de apoio às cidades. O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), com o BRDE Municípios, vai garantir R$ 150 milhões para cada um dos três estados do Sul, totalizando R$ 450 milhões em novos investimentos. “Os recursos já estão disponíveis. Vão ajudar a dinamizar a economia no próximo ano”, salientou Colombo.

“Com a crise que o Brasil vive, Santa Catarina tem uma boa situação justamente por ter programas como esse. São parcerias que dão certo e geram muitas oportunidades”, observou o vice-governador, Eduardo Pinho Moreira.

A prefeita de Bombinhas, Ana Paula da Silva, falou em nome dos prefeitos e destacou a importância dos recursos. “Nós, prefeitos, somos gratos pelos recursos, pois não teríamos condições de executar as obras ou comprar o equipamentos. Com certeza, os investimentos trarão muito mais conforto e qualidade vida para os catarinenses”, disse.

Dentre as ações autorizadas com as assinaturas dos contratos, estão a pavimentação de vias, aquisição de máquinas e equipamentos, obras de infraestrutura e construção de creche. “São recursos importantes para os municípios, que podem efetivar ações para a melhoria da qualidade de vida da população catarinense, além de estimular a economia de cada região, cumprindo o papel essencial do Badesc”, afirmou o presidente Rocha.

O presidente da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), José Caramori, salientou que não há recursos oriundos do caixa local para as prefeituras fazerem investimentos nas cidades. “O Governo do Estado, incentivando pelo Badesc, possibilitam o repasse de recursos para que os municípios possam investir, e isso precisa ser reconhecido e valorizado. É uma ação imprescindível para que as cidades catarinenses, mesmo em época de crise, continuem fazendo investimentos”.

O Badesc Cidades é uma linha de crédito que financia até 100% do valor de projetos ligados a turismo, desenvolvimento institucional, empreendimentos comunitários, equipamentos comunitários, infraestrutura de habitação, saneamento básico (água e esgoto), saúde, saneamento, sistema viário e transporte escolar. Por meio dele, cada município, com base no que arrecada, pode obter financiamentos com um ano de carência e três anos para amortização.

 

SITUAÇÃO

Ainda durante o encontro com os prefeitos, Colombo falou sobre a Previdência do Estado. Ele relatou que, em 2020, o déficit será de R$ 7,8 bilhões se Santa Catarina não tomar uma atitude. “O que acontece hoje com outros estados que estão atrasando salários, acontecerá aqui. Não fazer a correção agora será uma falta de patriotismo, de responsabilidade, ou pior que isso, um ato de covardia. Não é uma ação de Governo, é de Estado. Ou fazemos isso ou as pessoas sofrerão muito. A mudança é algo indispensável, tem que ser feito, sob pena de no futuro não termos a capacidade de honrar os compromissos básicos. Isso vai acontecer com todos os municípios e Estados que têm o sistema próprio de previdência e que não tomarem as medidas,” explicou.

O governador disse que o Brasil chegou a um momento que precisa corrigir seus rumos e tomar novas atitudes. Conforme Colombo, é o momento das pessoas que têm a capacidade de liderar exercerem o papel na sociedade com responsabilidade, mesmo que haja impopularidade. “Nunca podemos perder a credibilidade. É a hora de termos coragem e de protegermos a sociedade catarinense. Temos que reagir como agentes públicos para dar todo apoio e termos condições de continuar fazendo o movimento em favor da sociedade catarinense”, afirmou.

O governador destacou ainda que a situação atual é de desafios e ao mesmo tempo de oportunidades. Apesar das dificuldades, Santa Catarina tem conseguido manter o equilíbrio fiscal e o dinamismo econômico com investimentos em obras e em oportunidades de setores.

“Sabemos que precisamos fazer mais e melhor. Não vamos deixar esse momento de pessimismo nos contaminar. Vamos fechar o ano bem, vamos conseguir pagar todas as contas, folhas, salários. O modelo catarinense tem conseguido resistir bem. Não é fácil, mas nós o preparamos bem. Vamos conseguir honrar com todos os nossos compromissos. Não vamos aumentar impostos, porque isso não resolve e só pune a população”, finalizou Colombo, acrescentando e agradecendo o apoio recebido da Assembleia Legislativa e do Tribunal de Contas em 2015.

Colombo destacou que buscar oportunidades é o caminho da prosperidade e que faz com que Santa Catarina seja um Estado diferenciado em desenvolvimento. “Eu peço a ajuda de todos. É um momento de soma de forças para que possamos fazer o certo, com coragem e determinação. Eu aprendi muito cedo que o melhor político é aquele que consegue ser a voz de quem não tem voz, que consegue criar oportunidade para quem não tem e que devolve a esperança para quem não acredita”, salientou.

O governador solicitou ainda a determinação para seguir outros caminhos. “Tenho certeza que o líder político de agora é aquele que diz o que as pessoas não querem ouvir, que aponta caminhos que as pessoas não querem enxergar e que propõe mudanças que são desconfortáveis para alguns. Mas é isto que o Brasil precisa para mudar. O povo não sabe para onde ir. Este é o clima pior de todos e cabe a nós apontar caminhos”, completou.

Municípios e valores: 

Prefeitura

Objeto

Operação

Arvoredo

Máquinas e Equipamentos

          500.000,00

Bombinhas

Pavimentação de vias

        6.000.000,00

Caibi

Pavimentação de vias

          550.000,00

Canoinhas

Pavimentação de vias

        3.500.000,00

Corupá

Pavimentação de vias e infraestrutura

          700.000,00

Ermo

Aquisição de terreno

        1.000.000,00

Erval Velho

Aquisição de bens imóveis

          600.000,00

Ibirama

Aquisição de máquinas

          500.000,00

Iomerê

Empreendimentos comunitários

          700.000,00

Ipira

Obras de infraestrutura e máquinas

          400.000,00

Itapema

Obras de pavimentação

        4.000.000,00

Major Vieira

Pavimentação de vias

        1.000.000,00

Modelo

Pavimentação de vias

          500.000,00

Monte Carlo

Pavimentação de vias

        1.500.000,00

Monte Castelo

pavimentação de vias

        2.000.000,00

Passos Maia

Máquinas e Equipamentos

          700.000,00

Paulo Lopes

Pavimentação de vias

        1.000.000,00

Rio do sul

Pavimentação de vias e ginásio

        4.800.000,00

Rio Negrinho

Pavimentação de vias

        2.800.000,00

Santa Helena

Aquisição de máquinas

          330.000,00

São João do Sul

Pavilhão industrial e garagem

        1.500.000,00

São José

Pavimentação de vias

      10.000.000,00

São Martinho

Pavimentação de vias

          600.000,00

São Miguel da Boa vista

Passeios públicos

          500.000,00

Seara

Pavimentação de vias

        1.400.000,00

Treze de Maio

Creche

        1.500.000,00

Fonte: Jmais  

      48.580.000,00

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »