10/11/2015 às 09h21min - Atualizada em 10/11/2015 às 09h21min

Movimento para redução do salário dos vereadores em Mafra ganha força

Rádio Cidade

Sem muita pressa e alarde, o movimento que propõe a redução dos salários dos vereadores mafrenses vai ganhando força e adeptos a cada semana. Na manhã da última quinta-feira (05), o grupo Tratoraço também aderiu ao movimento. Os agricultores se comprometeram em levar o documento para as localidades rurais e colher assinaturas dos moradores do interior do município. Os representantes do movimento acreditam que o salário deve sim ser reduzido, pois essa também é uma forma de enxugar os cofres públicos, em específico no caso de Mafra, onde o prefeito declarou veementemente na imprensa que o município passa por uma grave crise financeira e propôs medidas de austeridade. Sendo assim, os vereadores exercem suas profissões, tendo outras rendas podem muito bem colaborar com as finanças do município reduzindo seus salários de vereadores. “O exemplo deve partir deles na prática também”, frisou um dos membros do grupo.

Movimento propõe mudanças na atuação do legislativo além da redução dos salários dos vereadores

Segundo alguns líderes do movimento, a iniciativa tem sido vista com bons olhos pela população: “Que bom que ainda existem pessoas que se preocupam e lutam para melhorar nossa cidade” disse uma moradora do Alto de Mafra ao ser abordada por um dos colabores do movimento. “Nós assinamos e apoiamos este movimento”.

“Gostei muito da proposta do movimento, porque com a esta atitude corajosa, os nossos vereadores entenderão que o momento exige uma postura diferente daquela que vem sendo tomada na nossa política e na administração pública municipal. Entenderão que não é possível continuarem recebendo quase 5 mil reais por mês, pelo tanto que fazem” disse um eleitor, morador da Vila Ferroviária, acrescentando que: “se as coisas continuarem como estão, com custo de vida alto, salários baixos e toda esta instabilidade política em nosso município onde nossas opiniões e necessidades, passam a ser ignoradas logo após as eleições, o que nos resta é começar a anular nossos votos” – complementou.

Os posicionamentos da população às abordagens para coleta de assinaturas nos formulários, que estão sendo realizadas por voluntários e colaboradores, em geral são bastante positivos, disse um integrante do movimento. “A gente percebe o quanto o povo mafrense está carente e também, o quanto se revolta ao saber do gasto público dispendido só com as despesas do legislativo. Eles consideram muito injusto os próprios vereadores definirem os seus salários e entendem que a sociedade é quem deve definir esse valor já que os recursos são oriundos dos cofres públicos. Ainda temos um bom caminho pela frente, pois cada um de nós tem seus próprios compromissos, não sendo possível uma dedicação mais ostensiva. Ainda assim, temos obtido um resultado razoável nesse trabalho de coleta de assinaturas. Convocamos todos para aderirem ao movimento, pois ele não tem dono, é de toda a população que clama por mudanças”, finalizou.

O movimento teve início no dia 15 de outubro e deve continuar até o fim do mês de novembro, quando pretendem usar da Tribuna da Câmara para expor, justificar e demonstrar aos vereadores através da entrega do abaixo assinado, as mudanças necessárias para que se resgate a credibilidade politica no município e para que os vereadores elaborem os respectivos projetos de leis visando às mudanças requeridas.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »