17/05/2017 às 13h24min - Atualizada em 17/05/2017 às 13h24min

Mulher é morta por amante em Rio Negrinho SC

clicperfil
Um crime bárbaro foi elucidado em tempo recorde pela Polícia Civil de Rio Negrinho na tarde de ontem (16). Uma mulher de 51 anos foi morta por um homem com quem, supostamente, teria um caso extraconjugal. O crime ocorreu por conta de desajustes causados por um aparelho celular. 
 
Servidora pública há mais de 10 anos no setor de saúde, Iris Bail, de 51 anos, deixou o local onde trabalhava na tarde de segunda-feira e, conforme relatos da Polícia Civil, ela teria saído para receber um dinheiro de quem pagaria metade de seu celular, mas sem revelar o nome da pessoa. Ainda na noite de segunda-feira, familiares publicaram, em suas redes sociais, avisos de preocupação por conta de a mesma não ter chegado em casa. O fato também foi comunicado para a polícia, mas apenas na manhã de ontem. 
 
Também na manhã de ontem, um veículo do transporte escolar se deslocava para o interior levando os alunos para suas casas após as aulas. Uma cena chamou a atenção do motorista e do monitor que o acompanhava. Quando passavam pela localidade de Rio dos Bugres, a cerca de 4 km da Fazenda Evaristo, avistaram uma pessoa caída. Como estavam com as crianças, seguiram viagem e, somente na volta, fizeram a parada para verificar do que se tratava. Era o corpo da servidora pública. Comunicado o fato à Polícia, no Copom de Bela Vista, o monitor se deslocou com uma viatura para mostrar onde estava o corpo. Após, foram acionados os profissionais da Polícia Civil, que iniciaram o trabalho de investigação. Por volta das 16 horas de ontem, o corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), de São Bento do Sul. 
 
Preso o acusado
 
Por conta de um registro feito pela vítima recentemente, dando conta da subtração de seu aparelho celular, que teria sido levado por um homem, Antônio Sérgio Feliciano, a Polícia iniciou as investigações. Como o nome da pessoa denunciada ficou registrada na Delegacia, imediatamente os investigadores foram ao local de trabalho do provável suspeito. 
 
Conforme os delegados Gustavo Muniz e Gil Ribas, o suspeito, Antônio Sérgio Feliciano, de 47 anos, confessou o crime. Por volta das 13 horas de ontem, a Polícia Militar acionou a Civil, dando ciência do corpo encontrado. Então, começaram a ser feitos os levantamentos, inclusive com registros fotográficos das roupas da vítima, para apresentar aos familiares por questões de reconhecimento do corpo. Cerca de 40 minutos após, delegados e investigadores já estavam na empresa onde trabalha o suspeito. Ao chegar ao local, foi encontrado um celular da vítima no armário dele. O suspeito tentou ocultar o aparelho, mas não conseguiu. Ele recebeu voz de prisão na mesma hora e foi levado para a Delegacia, conforme informa o delegado Gustavo. 
 
O delegado ainda explica que, antes mesmo de chegar à Delegacia, os policiais passaram na casa do suspeito, onde foram encontradas as roupas usadas no crime, mesmo tendo sido lavadas. Testes pontuais podem apontar a existência de sangue nas roupas, que pode ser comparado ao da vítima. O veículo também estava na casa e contava com marcas de sangue em alguns pontos, principalmente no lado do motorista. Algumas partes do veículo estavam limpas, como se tivesse sido passado um pano, explicou o delegado. 
 
O propósito do autor em ficar com o celular da vítima era para excluir as mensagens que trocavam. O receio, conforme conta o acusado, era ter o suposto caso amoroso descoberto pelos familiares. 
 
Relacionamento extraconjugal
 
O delegado explica que o autor do crime, após ter confessado, criou sua versão dos fatos, dizendo que teria se encontrado com a vítima para namorar, deixando claro que, mesmo casados, mantinham um relacionamento amoroso. “Ele, imediatamente, confessou que matou a vítima. Criou a versão dele, dizendo que foi até o local para namorar, que ele é casado e ela também. Disse que ela teria tentado agredi-lo com um pedaço de pau por duas vezes. Aí, ele teria tomado o pedaço de pau que ela estaria agredindo a ele e acabou desferindo os golpes que tiraram a vida dela. Mas, é uma versão dele, vamos investigar”, conta o delegado Gustavo.
 
A Polícia segue a investigação, mas os primeiros levantamentos apontam, pela gravidade dos ferimentos, que os golpes foram desferidos por algum material mais pesado. Srgundo os delegados, os primeiros indícios levam a crer que o acusado mente quanto à versão que apresentou à polícia, pois a vítima teria feito cirurgias nos dois braços recentemente, o que a impossibilitaria de realizar qualquer tipo de força. Antônio Sérgio Feliciano ficará recolhido à disposição da justiça, na Delegacia de São Bento do Sul. Possivelmente, Antônio será indiciado por homicídio qualificado com requinte de crueldade, pois a vítima estava em uma situação de indefesa diante do acusado.
 
O sepultamento da servidora pública deverá ocorrer hoje. 

.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »