15/12/2016 às 09h00min - Atualizada em 15/12/2016 às 09h00min

Rodovias de SC devem ter fluxo 20% maior no verão, esperam PRF e PMRv

Na temporada de verão 2017, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Militar Rodoviária (PMRv) esperam receber o fluxo de turistas 20% maior do que no verão passado. Entre Natal e Ano Novo, o fluxo tende a ser de 50 a 60% maior e, com isso, há o aumento de acidentes.   

O projeto "De Olho no Verão" promove um debate nos veículos da RBS em Santa Catarina de três grandes temas que impactam moradores e turistas do estado durante o veraneio. Além de mobilidade urbana, foram debatidas questões ligadas ao abastecimento de água e luz, bem como saneamento e balneabilidade.

"Para nós, o que interessa é que estamos perdendo vidas. Tanto numa rodovia, como numa via coletora, em uma de trânsito local. Está grave a situação", explica o tenente-coronel Fábio Martins, da PMRv.

Veja abaixo os destaques da sabatina dos jornalistas da RBS com o inspetor do núcleo de Comunicação da PRF/SC, Carlos Possamai, e o tenente-coronel Fábio Martins. A íntegra dos blocos da entrevista, em vídeo, estão no final da reportagem.

Operação Verão
A operação de verão em rodovias federais que cruzam o estado ocorre a partir de 16 de dezembro e vai até 5 de março. Já a partir do dia 1º de janeiro, uma operação específica chamada Rodo Vida está prevista.

"Ela foca principalmente em reduzir a gravidade dos acidentes e seus custos para a sociedade", explica o inspetor Possamai. A operação também vai focar em ultrapassagem indevida, excesso de velocidade e uso de cadeirinha para crianças.

Entre as mudanças previstas, está a determinação para que na BR-101, não sejam feitas obras nos trechos pedagiados durante períodos de festas. Também será avaliada a interdição de obras e reformas de outras rodovias, conforme as filas. "Notadamente a BR-101, na área pedagiada, é a que mais recebe número de veículos˜, complementa Possamai.  

Também haverá remanejamento de escala para reforço, explica a Polícia Rodoviária Federal.

Conforme a PMRv, 20 policiais serão alocados para o litoral, principalmente Florianópolis, durante o verão. Entretanto, o fluxo também mudou. "As ocorrências vêm se mantendo no interior também no verão", disse o representante a PMRv.

Segundo a PRF, para atender a demanda das rodovias federais, seria preciso um efetivo de 40 a 50% maior do que é o atual. "O efetivo é insuficiente, por isso a gente tenta suprir com novas tecnologias", disse Possamai.

A PMRV também diz que usa  tecnologia para ampliar a fiscalização. Ao todo, são 486 policiais.

Imprudência
"O excesso de velocidade e a embriaguez ainda são os fatores que mais causam os acidentes de natureza grave e gravíssima, principalmente quando a gente fala de festa˜, explica o tenente-coronel Fábio Martins.

"Hoje a imprudência nas nossas rodovias, a negligência, está virando uma regra", reforça o tenente-coronel.  "Nós precisamos ter essa cultura que não é necessário estar a polícia ali, fiscalizando, a todo o momento, porque isso teria que partir do condutor", complementou Martins. "A gente está pegando alguns problemas da nossa vida e transferindo para o transito".

Com base em um estudo da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, o inspetor da PRF afirmou que o risco de acidente de trânsito com a pessoa que utiliza o celular aumenta em 400%. Quando isso se combina ao uso do álcool, os danos são ainda maiores, ressaltou Possamai.

Fiscalização
"A gente vê ultrapassagem proibida em rodovias de pista simples. Nesses locais se escolhem locais de pontos fixos, baseados em análises de trânsito, baseado em estatísticas, e nesses locais se faz uma fiscalização, geralmente estática", diz a PRF.

"Todos os postos estão equipados com bafômetros, dois a quatro, e existem mais de 10 radares distribuídos no estado, que podem ser ligados de maneira automática. Pode ser feita também a abordagem de maneira manual, com o condutor", reforça Possamai.

Já em rodovias estaduais, são 56 bafometros e 34 radares portáteis e estáticos disponíveis para fiscalização. Os aparelhos também permitem a fiscalização à noite. Atualmente, a PMRv trabalha para adquirir radares fixos, que foram retirados por uma questão de legislação.

"Eu sou a favor da fiscalização eletrônica fixa. Nós estamos trabalhando para colocar nas rodovias estaduais, para que seja feita dessa forma, com um estudo técnico, em pontos que realmente necessitam a redução da velocidade. Saída de pista, capotamento, tem a ver com excesso de velocidade", explica Martins, da PMRv.

Rodovias perigosas
De acordo com a PRF, a BR-101 é a de maior preocupação. "Nosso trecho crítico fica entre Biguaçu, São José e Palhoça". Ainda de acordo com os policiais, a região de  Balneário Camboriú e Itapema também demanda atenção.

"Com o transporte de carga e turismo, a mobilidade urbana fica comprometida na BR-101. Esse conflito faz que o número de acidentes seja bastante elevado", disse Possamai.

No perímetro urbano, a Via Expressa da Grande Florianópolis, a BR-282, também demanda atenção. "Vão ficar permanentes duas viaturas com quatro policiais na região", disse Possamai.

No interior, a PRF aponta que também há trechos críticos no verão. Em Chapecó, o número de acidentes aumenta nas férias escolares. As cidades de Jaraguá do Sul, no Norte do estado, e Gaspar, Blumenau e Indaial, no Vale do Itajaí, também demandam atenção da polícia.

O Sul do estado, onde no passado foi inaugurada a nova ponte de Laguna, não será mais ponto de congestionamento, conforme a PRF.

Já a PMRv diz que as regiões que mais preocupam são: Laguna e Jaguaruna, no Sul; São Francisco do Sul, Norte; Blumenau e Gaspar, no Vale; e a Grande Florianópolis.

Conforme a PMRv, somente na SC-401, cada  final de semana entre 12 e 13 habilitações são recolhidas. "A gente consegue fiscalizar de 8% a 9% de quem está transitando", diz o tenente-coronel Martins.

A SC-401, em Florianópolis, teve no verão do ano passado uma média de volume diário de 90 mil veículos na rodovia. Normalmente, o fluxo é de 65 mil. Já a SC-405, no verão, chega a ter um acréscimo de 25% na região, com ápice de 62 mil veículos diariamente durante as festas.

Multas
Desde 1º novembro, pela mundança do Código Brasileiro de Trânsito, as multas por infrações de trânsito aumentaram em cerca de 66%. De acordo com a polícia, ainda é cedo para saber se houve alguma mudança de postura do motorista.

"Não é significativo, o período é muito curto. Nós vamos ter um bom teste na temporada", disse o inspetor Possamai, da PRF. "Nós não notamos mudanças. O período é curto, mas nós acreditamos que a mudança não passa pelo valor da autuação", complemente Martins

Com a regulamentação da Lei do Farol, que institui o uso de faróis baixos em rodovias durante o dia, PMRv e PRF tiveram impressões diferentes sobre a efetividade.

"Houve uma redução significativa no número de acidentes e mortes em rodovias onde se aplicou o farol baixo. Colisão frontal, atropelamento, colisão com ciclistas e transversal", disse Possamai, da PRF.

"O nível de acidentes continuou o mesmo com a Lei do Farol. Infelizmente os números ainda são elevados˜, disse Martins sobre rodovias estaduais.

Os dois órgãos informaram que realizam um banco de dados com multas de estrangeiros, que são notificados por edital, mas não há a comunicação e envio de multa nas residências, por falta de acordo entre os países.

"Se ele no retorno ao pais não tiver essa notificação, ele vai ter o veículo retido e só vai ser liberado após o pagamento desta notificação. Na aduana ele é parado e tem que pagar. Se ele for abordado em um posto qualquer, o veículo também é retido", explica Possamai.

"Não existe a industria da multa, mas a infração. Quando as pessoas começarem a ser mais prudentes, não vai ter multa˜, afirmou Martins. 

Fonte: G1


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »