28/08/2015 às 09h18min - Atualizada em 28/08/2015 às 09h18min

Pesquisa do Tabaco será lançada com evento em Irineópolis nesta sexta

Jmais

A Federação dos Agricultores Familiares de SC (Fetaesc), com apoio da Associação dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais na Região da Erva Mate (Astramate), realiza nesta sexta-feira, 28, solenidade para apresentar a Pesquisa do Tabaco 2015. O evento acontece no Centro Múltiplo, no centro de Irineópolis. Logo após será servido almoço no Pavilhão da Igreja. A Região do Planalto Norte é a maior produtora de tabaco no sul do país.

Em quantidade de produção os municípios do Planalto Norte figuram entre os primeiros no país. Canoinhas (6ª), Itaiópolis (7ª) Irineópolis (14ª) e Santa Terezinha (15ª).

Durante o lançamento será apresentada a Pesquisa do tabaco 2015, organizada pela Fetaesc em conjunto com a Comissão de Tabaco da federação e Sindicatos, ela irá mostrar informações sobre o cultivo, modelo aplicado nas propriedades rurais, número de familiares que atuam na produção, entre outros tópicos que estavam na pesquisa e foram respondidos

Gratuito e aberto ao público em geral entre os participantes estão sendo esperados produtores de tabaco, autoridades, técnicos e dirigentes sindicais do Sistema Contag/Fetaesc na região do Planalto Norte.

Mais informações no Sindicato de Irineópolis pelo telefone Fone: (47) 3625.1106.

 

PESQUISA DO TABACO 2015

Realizada há cerca de 10 anos no estado, este ano o foco foi a nova metodologia de aplicação nas bases do processo de coleta das informações e dados bem como o modelo de repasse dessas informações para o banco de dados estadual.

Dentre as estratégias formuladas nas reuniões da Comissão de Tabaco da Fetaesc está ampliar o conhecimento das lideranças sindicais sobre o processo de produção do tabaco em especial no que tange a classificação do produto.

Em Santa Catarina, estado onde cerca de 50 mil famílias atuam na produção de tabaco, são três tipos do produto produzidos, com destaque para a produção em maior área do Virgínia, seguido do Burley e com a menor área o comum.

O assessor de Planejamento da Fetaesc, Irineu Berezanski, diz que o trabalho é importante por que revela dados reais da produção no estado como número da área plantada, condição de classificação, preço pago ao produtor, relacionamento com as empresas do setor e principalmente a real situação atual do produtor.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »